O pum pesa?

Por Guilherme J. T. Alves

Publicado em 25/02/2015

Esta famosa pergunta infame, título desse roteiro didático, tem sido por muitos anos tema de inúmeras piadas e anedotas. Aproveite o senso de humor de seus alunos e desencadeie uma aula descontraída e proveitosa, aguçando ainda mais a curiosidade deles a respeito das propriedades dos gases.

Mas, e aí? O pum pesa? Sim... E o que isso tem a ver com ciência? Muito...

Diante dessas questões, propomos o roteiro didático a seguir para ser desenvolvido na disciplina de Química, em sala de aula ou no laboratório. Veja:

 

Química

Objetivo: Conhecer os conceitos básicos e introdutórios das variáveis de estado dos gases

Conteúdo: Características gerais dos gases e variáveis de estado (pressão e volume)

Segmento: 1º ano do Ensino Médio (1 aula – 50 min)

Recursos didáticos: exibição de imagens do livro didático ou de outros recursos multimídia e uma bexiga de látex.

Desenvolvimento:

1. Inicie lembrando os alunos da infame pergunta usada em muitas piadas: “O pum pesa?”. Se alguém da turma não conhecer a piada, peça que algum colega se candidate a contá-la (provavelmente haverá muitos candidatos, rs...)*. Na sequência, introduza a seguinte explicação:

Como sabemos, o sistema digestório do corpo humano tem a capacidade de transformar diversas substâncias contidas nos alimentos por meio de processos mecânicos e químicos. Muitas dessas substâncias são vitaminas, carboidratos, açúcares e proteínas, que em sua maioria são absorvidas pelo corpo, principalmente pelo intestino.

Para que ocorra a separação dessas substâncias, inicia-se um processo chamado metabolismo, que tem como base milhares de reações químicas que ocorrem simultaneamente. Os produtos dessas reações são diversos e, entre eles, estão os gases, que provocam a flatulência nos seres humanos e em outros animais.

Flatulência, ou flatos, segundo o dicionário Caldas Aulete (2010) “é a acumulação de gases no intestino e no estômago”, e é promovido pelo metabolismo dos alimentos. Ressalta-se ainda que essa acumulação também é proveniente da nossa própria respiração.

*Se ninguém souber a piada, conte-a:

O garotinho pergunta:
- Pai, o pum pesa?
O pai responde: "não, meu filho!"
- Então acho que fiz cocô.

2. Em seguida, apresente algumas imagens de gases dos elementos do grupo 17 da tabela periódica ou de óxidos gasosos. A maioria deles apresenta coloração específica, por exemplo, o gás dióxido de nitrogênio (NO2):

CHANG, R.; GOLDSBY, K. A. Química. 11ª edição. Porto Alegre: Bookman, 2013. Página 174.

3. Faça uma explicação sobre as teorias do estudo dos gases provando que os gases ocupam um lugar no espaço e têm um peso específico, dependendo de sua composição. Apesar de muitos gases que constituem a nossa atmosfera não apresentarem coloração, eles podem ter outras características que os identificam, como o odor.

Dê exemplos como o mercaptano, um gás que contém enxofre na sua composição e é adicionado ao gás de cozinha para que, quando há vazamentos, possamos sentir o odor característico, pois os gases que compõem esse combustível são inodoros. Utilize também como exemplo os gases mais encontrados diariamente, como os da própria flatulência, o CH4 (metano) e o H2S (gás sulfídrico).

4. Uma das ferramentas didáticas para demonstrar o efeito da pressão e da variação do volume sobre uma mistura gasosa é utilizar uma bexiga de látex (utilizadas em festas de aniversário). Apertando a bexiga até a ruptura, mostre que a pressão é tão grande que a mistura gasosa necessita ocupar um espaço e, quando esse espaço é reduzido (ou o volume é reduzido), o gás escapa. Lembre-se também de exemplos simples como o processo de enchimento de um pneu: se enchê-lo demais, ele estoura.

 

KOTZ, J. C.; TREICHEL, P. M.; WEAVER, G. C. Química Geral e Reações Químicas6ª edição. Volume 1. São Paulo: Cengage Learning, 2013. Página 484.

5. Mostre também imagens que façam a comparação entre os diferentes gases, como o Nitrogênio e o Hélio.

BROWN, T. L.; LEMAY, H. E.; BURSTEN, B. E. Química, a ciência central. 9ª edição. São Paulo: Pearson, 2005. Página 360.

Com essa comparação, pode-se verificar que um gás é mais pesado que o outro, de acordo com a sua composição. Porém, o espaço que cada um ocupa, independentemente de sua natureza, está relacionado ao recipiente onde está armazenado. Aproveite e mostre o caso da pressão atmosférica e o que ocorre em lugares com diferentes altitudes.

 

Levon Boligian, Andressa Alves. Geografia Espaço e Vivência. Ensino Médio. Saraiva: São Paulo, 2011.

6. Como avaliação, a sugestão é refazer aos alunos pergunta inicial da aula (o pum pesa?) e, de modo explicativo, solicitar um pequeno texto mostrando que há fundamentos para a resposta.

 

Bom trabalho!

Voltar