China em imagens

Por Andressa Alves

Publicado em 18/02/2015

Dando uma olhadela em páginas da rede, é possível encontrar várias fontes confiáveis de recursos atualizados e que estão relacionados aos conteúdos escolares, permitindo a criação de diferentes formas de modificar as aulas e interagir com os alunos. A página da BBC Brasil é uma dessas fontes de recursos. Lendo as notícias publicadas pela BBC, nos deparamos com um recurso interessante, que resume a história recente da economia chinesa por meio de fotografias e legendas.

Fotos mostram evolução econômica da China

China, uma economia em mutação


Em 1949, a China era um dos países mais pobres e subdesenvolvidos do mundo. Cerca de 90% da sua população vivia no campo, a maior parte dela na pobreza. (Foto: Getty Images)
 


Em 1956, a economia chinesa pertencia ao Estado. A maioria da população ainda vivia no campo e trabalhava na agricultura. O governo incentivava a industrialização, mas a produtividade era baixa. (Foto: Getty Images)

A China só começou a prosperar após grandes reformas em 1978. Uma das mudanças permitiu investimentos estrangeiros. Em 1980, a Coca foi uma das primeiras empresas a montar joint ventures na China. (Foto: Getty Images)

Incentivos para a eficiência agrícola levaram a uma maior produção de alimentos e permitiram que mais trabalhadores migrassem a outras indústrias, como fábricas e pequenos negócios. (Foto: Getty Images)

Zonas especiais econômicas foram criadas pelo governo para estimular a produção fabril. Shenzhen se transformou de uma adeia pesqueira de 30 mil habitantes em 1984 em uma cidade de 8 milhões de pessoas em 2007. (Foto: Getty Images)

Mais e mais chineses se mudaram do campo para as cidades. Em 1950, menos de 13% da população era urbana.  Agora, a população urbana chegou a 40% e deve chegar a 60% nas duas próximas décadas. (Foto: BBC)

A China se tornou 'a fábrica do mundo'. Sua economia cresceu em média 10% ao ano nos últimos 25 anos. Em 2001, o país foi considerado aberto o suficiente para aderir à Organização Mundial do Comércio. (Foto: Getty Imagens)


A alta demanda global por produtos chineses alimentou o consumo energético na China. O país se tornou importador líquido de petróleo em 1993. Sua demanda por combustível deve se equiparar à dos EUA em 2030. (Foto: Getty Images)

A indústria chinesa cresceu mais rápido que sua regulamentação. A UE estima que 80% de seus produtos piratas venham da China. (Foto: Getty Images)

A economia continua a crescer, mas não escapou aos efeitos da crise global. Milhares de fábricas fecharam suas portas, e muitos trabalhadores tiveram de voltar ao campo. (Foto: Getty Images)


A economia chinesa superou a do Japão e se tornou a segunda maior do mundo. Especialistas creem que, no atual ritmo, a China pode superar os EUA e se tornar a maior economia do mundo em cerca de dez anos. (Foto: Getty Images)

O conteúdo referente à globalização da economia mundial, ao crescimento da economia das potências emergentes, e particularmente ao crescimento da economia chinesa está contemplado tanto no Ensino Médio quanto no Fundamental II. Entretanto, com o objetivo de abordar o tema de modo mais interativo com os alunos, sugerimos uma visita à página da BBC (http://www.bbc.co.uk/portuguese). Veja uma sugestão de roteiro didático para explorar esses recursos imagéticos nas aulas de Arte:

 

Arte

Conteúdo: fotografia, fotojornalismo, tradução e leitura de imagens
Segmento: 8o ou 9o ano do Ensino Fundamental e Ensino Médio

Desenvolvimento:
   
1. Destaque a fotografia jornalística como forma de registro de um momento histórico, visualização de notícias, tradução de momentos particulares/específicos e a retratação de momentos sociais e culturais importantes;

2. Ressalte a importância dos registros como arquivos sociais e culturais e a transmissão da informação de maneira objetiva;

3. Mostre as imagens da sequência (da economia chinesa) e destaque as características apresentadas nas fotografias em preto e branco e nas fotografias coloridas. Leve os alunos a refletir: que tipo de sensação as imagens com colocaração diferente passam? O que podemos perceber nas diferenças entre elas? Elas retratam momentos importantes em cada período de tempo diferente? Como percebemos isso?

4. Apresente aos alunos outras imagens de fotógrafos importantes como Robert Capa e Henri Cartier-Bresson, que retrataram aspectos da cultura chinesa cerca de alguns anos antes dos retratos da sequência de imagens mostrada na página da BBC. Utilize o conteúdo descrito na sequência de Geografia para explorar as imagens.

Treinamento guerrilheiro, China, de Robert Capa, 1938. Dois ícones da China na época, os guerrilheiros e os arrozais.


Leitura de atualidade, de Henri Cartier-Bresson, Pequim, China, 1948. Homens lêem as notícias sobre a revolução de Mao.


Recrutamento urgente, de Henri Cartier-Bresson, Pequim, China, 1948. Convocados com urgência, pequenos comerciantes e vendedores na Praça do Palácio Imperial, para tentar frear a entrada dos revoúcionários.

5. Aproveite a ligação do conteúdo e amplie o repertório dos alunos sobre o conhecimento de diferentes fotógrafos que realizaram trabalhos importantes no fotojornalismo, como Evandro Teixeira, Claudio VersianiPedro Martinelli, Sebastião Salgado, Jorge Araújo, Marlene Bérgamo, entre outros;

6. Solicite aos alunos uma pesquisa de imagens como forma de avaliação do trabalho realizado em sala de aula. Sugira sites ou blogs de fotojornalistas brasileiros, como Danilo VerpaMastrangelo ReinoLetícia Moreira.

Não se esqueça de adicionar os endereços dessa postagem em seus favoritos.

Bom trabalho!

Voltar