Soberania Alimentar: discuta já esse conceito em sala de aula!

Por Levon Boligian

Publicado em 03/08/2015

Câmara aprova projeto que acaba com símbolo de transgênico em rótulos

Muita gente não deu bola para o fato mencionado na manchete acima, ocorrido há alguns meses (leia a matéria sobre este assunto clicando aqui). Contudo é importante dizer que esse foi mais um golpe na sua autonomia e na liberdade de escolher o que come! Ou seja, isso afetou diretamente a sua soberania alimentar.

Mas o que é soberania alimentar?

Comer, não é simplesmente o ato de mastigar e deglutir os alimentos que estão à nossa frente. Comer envolve também ter consciência do tipo de alimento que estamos levando à nossa boca, qual sua proveniência, como foi produzido e por que pagamos o que pagamos por ele. Não ser alheio, e ter controle sobre os nossos hábitos alimentares, não delegando a ninguém essa decisão. Isso é exercer soberania alimentar.

Propomos aqui a você, educador, desenvolver esse conceito em sua escola.

Como? Utilize como ponto de partida o texto que sugerimos a seguir. Para ter acesso a ele, clique aqui.

Proponha a leitura do texto indicado acima, da ativista espanhola Esther Vivas, aos seus alunos em sala de aula. A partir dele, desencadeie um debate a respeito do conceito de soberania alimentar em nossa sociedade atual (leia no boxe abaixo a concepção de debate proposta pelo Professor e lingüista William Cereja). Sugerimos algumas questões que podem nortear a discussão:

  1. Como e por que surgiu o conceito de soberania alimentar?
  2. A nação brasileira tem discutido a sua soberania alimentar? Por que isso ocorre?
  3. Qual é a “essência da soberania alimentar”?
  4. O que é possível fazer para alcançarmos esta soberania?
  5. O que a autora do artigo quer dizer com a frase “se queremos, podemos”?

 

Para saber mais:

O que é um debate em sala de aula?

Voltar