Mapa da Culinária no Brasil: imigração e culinária nativa no Sul

Cultura nativa e imigrante de fundem para formar a cozinha do Sul do Brasil; confira

Por Mie Francine Chiba

Fonte: brasil.gov.br; turismo.pr.gov.br; turismo.sc.gov.br

Publicado em 07/10/2016

Italianos, alemães, poloneses, ucranianos, holandeses… A lista de imigrantes que chegaram à Região Sul do País é vasta e cada uma de suas culturas teve grande influência sobre a culinária sulista. Isso sem contar os povos que já habitavam a região – os índios, que tornaram importante na cozinha da região o uso de raízes e grãos.

No Paraná, os índios eram coletores e tinham como alimento o pinhão, fruto da araucária, árvore que é símbolo do estado. O pinhão até hoje pode ser encontrado na cozinha paranaense em festas juninas ou na sapecada – pinhão assado na fogueira. Da região também vem o barreado, de origem portuguesa, feito de carne, toucinho e temperos. O nome vem de “barrear” a panela com pirão de cinza e farinha de mandioca para evitar que o vapor escape e o cozido seque depressa.

Em Santa Catarina, temos a culinária açoriana que se originou dos portugueses que se fixaram no Estado e fundiram os temperos indígenas e os frutos do mar do litoral catarinense - peixe, camarão, marisco, berbigão, carne de siri, polvo e lula - em deliciosos pratos. Mais para o interior, há a influência da culinária germânica e aparecem os pratos com carne de porco e cervejas. Os imigrantes italianos também levaram para o Estado suas cantinas e vinícolas artesanais. Há também a presença das cozinhas polonesa, ucraniana, austríaca, húngara, holandesa, gaúcha e tropeira.

No Rio Grande do Sul, o churrasco é símbolo. Segundo o Portal Brasil, na época da colonização, os jesuítas introduziram a criação de gado e deixaram o rebanho aos cuidados dos nativos. Com a escravização dos índios pelos tropeiros paulistas e mineiros, o gado ficou solto pelos campos e migrou para o Sul, onde não havia predadores. Daí a tradição de criação de gado e de churrasco na região. A bebida símbolo do Estado é o chimarrão, feito de erva mate e preparada em uma cuia.

Veja alguns dos pratos típicos da região*:

Churrasco

No Brasil, o churrasco é um dos alimentos característicos do Rio Grande do Sul. Uma das versões mais aceitas para a origem desta tradição remonta a meados do séc. XVII, quando o gado era abundante na região e a parte do animal mais valorizada comercialmente era o couro. No meio dos pampas gaúchos, os transportadores, conhecidos como tropeiros, se alimentavam da carne bovina tendo como artefatos disponíveis pouco mais que a madeira para suspendê-la e o fogo mantido aceso em um buraco no chão.

Foto: Ander Vaz via Visualhunt / CC BY-NC-SA

Barreado

De influência portuguesa, o barreado é um prato típico paranaense que pode ser facilmente encontrado em restaurantes de Antonina, Guaraqueçaba, Guaratuba, Morretes e Paranaguá. O nome vem da expressão "barrear" a panela, com pirão de cinza e farinha de mandioca, para evitar que o vapor escape e o cozido seque depressa. O prato representa fartura, festa e alegria e foi adotado como prato do período do entrudo - o precursor do carnaval.

Foto: CamilaF via Visual Hunt / CC BY-NC-ND

Sopa de Capeletti

Alimento típico das regiões de imigração italiana no sul do Brasil cujo ingrediente principal é uma massa dobrada e recheada. Alguns a consideram uma adaptação do italiano cappelletti in brodo – caldo de frango ou de carne em que se cozinha esse tipo de massa. Cidades como Nova Petrópolis, Gramado e Canela, na Serra Gaúcha, contam com restaurantes que oferecem diversas opções da sopa.

Foto: multireceitas.com.br

Chimarrão

Bebida símbolo da hospitalidade do gaúcho, feita com erva mate preparada em uma cuia. Acredita-se que o hábito de tomar o chá tem origem na cultura dos índios guaranis. Uma das formas mais tradicionais de tomar o chimarrão é em uma roda na qual a cuia passa de mão em mão.

Foto: Robvini via Visualhunt.com / CC BY-NC-ND

*Fonte: brasil.gov.br

Voltar